Um vislumbre do mundo florescente de Maurice Harris

story__section - exclusivo story__body - exclusivo '>

O velho ditado é algo como, quando você não pode dizer com palavras, diga com flores - e essa é a especialidade de Maurice Harris. Como o fundador da loja meio floral e cafeteria com sede em Los Angeles Bloom e Plume , Harris transformou seu negócio em um favorito do público tanto no mundo da moda quanto do entretenimento. Ele cavou espaço na indústria criando peças centrais florais atraentes, muitas vezes esculturais, para empresas como Gucci, Nike, Dior, The Row, MOCA e LACMA.

Recentemente, ele lançou seu primeiro programa com qual , criou arranjos florais para Beyoncé'sBlack Is King, e garantiu um show na HBO Max. Basicamente, ele está aqui florescendo.Você pode entender, então, por que estamos fervilhando de entusiasmopara dar uma olhada em seu mundo. E, felizmente para nós, ele nos deu a chance de segui-lo durante o dia e cavar um pouco mais fundo em seu negócio floral, a inspiração por trásPeça central, e sua abordagem ao estilo. Continue lendo para aprender mais sobre a floricultura, cujo trabalho, estilo e criatividade irão pavimentar você.

Entrevista com o fundador da Bloom & Plume e o apresentador do programa Quibi, Maurice Harris

Foto:

Cortesia de Bloom e Plume , qual

Vamos começar do início: como você entrou no ramo de flores?

Ele meio que me encontrou. Trabalhei com vitrines e produção de arte, e constantemente buscava materiais no Downtown. Eu me via muito no mercado de flores e comecei a brincar com eles. As pessoas responderam muito bem, então continuei fazendo isso e aprimorei minha arte.

Como a Bloom & Plume Coffee se tornou uma extensão do seu estúdio floral?



As flores são uma experiência de luxo que tem um ponto de entrada exclusivo, mas o café é um daqueles luxos que todo mundo se dá em 2020. Eu queria encontrar uma maneira de fazer com que a experiência luxuosa das flores alcançasse mais pessoas, e o café parecia o perfeito veículo para fazer isso acontecer. Além disso, vi minha vizinhança mudando (moro aqui há 18 anos), e vi todas as mudanças acontecendo, e eu sabia que alguém abriria uma cafeteria, então imaginei que seria a mudança que eu queria veja, e aqui estamos.

Entrevista com o fundador da Bloom & Plume e o apresentador do programa Quibi, Maurice Harris

Foto:

Cortesia de Bloom e Plume

Qual foi sua maior curva de aprendizado desde que começou seu próprio negócio?

Aprender a gerenciar o fluxo de caixa. É incrivelmente difícil tentar gerenciar a folha de pagamento, os impostos e todas as taxas exigidas para administrar um negócio legítimo e, ao mesmo tempo, equilibrar adequadamente o preço do material e da mão de obra em relação ao produto. É uma fórmula complicada na qual ainda estou trabalhando. Sendo este país fundado no trabalho livre (ou seja, escravidão) em 2020, ainda esperamos que o trabalho seja gratuito, então as pessoas estão ansiosas para pagar muito caro por lindas flores, mas nem sempre querem pagar a mim e minha equipe para fazer o trabalho de torná-los bonitos. As pessoas são a parte mais cara da administração de uma empresa, mas são consideradas as menos valiosas aos olhos do público, então descobrir como negociar isso foi e ainda é muito difícil.

Quais são algumas outras empresas vitais de propriedade de negros que você gostaria de destacar agora?

Esta questão é difícil para mim porque parece que A) estou esquecendo alguém ou B) a responsabilidade recai sobre mim para acertar, mas vamos lá. A Bloom & Plume Coffee precisa de todo o amor e apoio que pudermos obter. Union é uma loja em que faço compras regularmente. Eles são meus amigos e eu os amo. My Two Cents é um restaurante delicioso e incrível.

Entrevista com o fundador da Bloom & Plume e o apresentador do programa Quibi, Maurice Harris

Foto:

Cortesia de qual

Vamos falar sobre o seu show Quibi,Peça central. O conceito do programa é único e os visuais em si são tão comoventes. Como surgiu o conceito e quais referências estavam em seu painel de humor para a aparência geral do show?

Meu estúdio de flores estava no quadro de humor. Minha casa estava no quadro de humor. Este show é um reflexo das coisas que estão ao meu redor. Não tínhamos um grande orçamento para fazer do jeito que eu realmente queria, então fui com coisas que já tinha e estética que já havia desenvolvido. Em termos de inspiração, é o culminar de todas as minhas modalidades criativas, de todas as coisas que são importantes para mim, e de ser capaz de traduzi-las de forma criativa, elegante e mágica.

Você tem tantos convidados incríveis no show, incluindo Tessa Thompson, Melina Matsoukas e Jeremy O. Harris. Quem é o futuro hóspede dos seus sonhos?

Eu adoraria entrevistar Donald Glover porque acho incrível sua habilidade de criar em meios completamente diferentes e matá-los. Eu adoraria entrevistar Rihanna e Beyoncé porque estou muito curioso em como elas realizaram tanto em suas carreiras (e embora tenham feito isso de maneiras diferentes, eles têm trajetórias semelhantes). Thelma Golden está no topo da minha lista. Ela é a fada madrinha de muitos artistas que estão recebendo elogios adequados atualmente, e seria absolutamente fabuloso entender de onde vem seu impulso e celebrá-la e homenageá-la por todo o trabalho incrível que ela fez.

Entrevista com o fundador da Bloom & Plume e o apresentador do programa Quibi, Maurice Harris

Foto:

Cortesia de qual

Sua experiência e muito do seu trabalho floral estão enraizados nas indústrias da moda e da beleza. Como você diria que isso influenciou seu estilo pessoal?

Acompanho a moda europeia de ponta desde o colégio e sou uma pessoa obsessiva, então minha obsessão com alta-costura definitivamente se infundiu em meu mundo, mas acho que tempero isso me apoiando na história de meus pais e avós, que eram pessoas incrivelmente elegantes e o levavam para a passarela todos os domingos na igreja.

Como sua experiência pessoal como um homem queer negro influenciou sua relação criativa com a arte e o estilo?

Na forma como a experiência pessoal de cada ser humano influencia as coisas que eles colocam no mundo. Acho que, como uma pessoa marginalizada com vários cruzamentos, tenho o privilégio de ver minhas desvantagens de frente e descobrir como enfrentá-las de uma forma que possa tornar o mundo um lugar melhor.

Entrevista com o fundador da Bloom & Plume e o apresentador do programa Quibi, Maurice Harris

Foto:

Cortesia de qual

Você acha que sua arte e o trabalho de sua vida desafiaram as narrativas convencionais em torno da masculinidade negra?

Esse é o objetivo, mas quem sabe? Isso é algo pelo qual me esforço, mas você teria que perguntar às pessoas que vêem minha obra de arte para ver se ela está realmente acontecendo. Não sei culturalmente se isso está causando uma mudança tão grande ainda. Eu também acho que porque minha arte lida com um assunto tão delicado e complicado, não é fácil de digerir e processar, e muitas pessoas neste país estão interessadas em facilidade.

Como é um dia na vida para você?

Bem, assista ao vídeo ...

Você tem uma flor favorita ou uma flor que sente que representa a sua essência?

Não. Mas se o fizesse, poderia dizer que a ave-do-paraíso é uma flor muito boa porque é alta, se destaca, é resiliente, tem cores vibrantes e as pessoas tendem a rejeitá-la, embora seja uma espécie de bomba. Eu amo um cosmo de chocolate porque é aveludado e perfeito, e é delicado, mas também é potente e poderoso. EentãoEu diria que adoro uma passiflora porque é complicada em como se apresenta, mas é extremamente bonita em sua complexidade.

E, finalmente, para nossos leitores interessados ​​em dominar os arranjos florais em casa, qual é o seu conselho mais valioso? E qual é um erro comum que a maioria das pessoas comete com seus arranjos?

Um erro comum que as pessoas cometem quando se trata de criar arranjos florais é colocar suas folhas dentro e sob a água. Você deseja limpar as folhas dos caules e certificar-se de que eles cheguem ao fundo do vaso para que possam beber o máximo de água. Se você quer ser bom em alguma coisa, tem que praticar e, quando fica difícil, tem que ir além. Isso é tudo que separa as pessoas que são realmente boas nas coisas - elas vão além da parte difícil.

Próximo: 6 modelos de ableísmo, visibilidade e estilo pessoal